principalmente para profissionais de saúde. Vamos compartilhar

 

auriculoterapia_27245272_xxl-825x542-1

Um dos piores problemas que uma pessoa pode ter é, sem dúvida, a fibromialgia. Os sintomas são muitos, as dores são muito fortes e juntamente com elas, vários outros problemas podem se instalar, como a depressão, a ansiedade e a insônia.  Devido a isso, eu resolvi fazer um pequeno apanhado de informações sobre esta doença que inclui a visão ocidental, a visão oriental e a viabilidade de tratamento com a Auriculoterapia.  VISÃO OCIDENTAL  A fibromialgia é uma patologia crônica caracterizada por várias queixas, incluindo dores músculo-esqueléticas e a presença de pontos dolorosos à palpação que são os tender-points.  Como classificação, a fibromialgia é um dos tipos de reumatismos extra-articulares, dos quais fazem parte as tendinites, as mialgias, síndromes do túnel do carpo, do tarso, bursites não infecciosas, entre outras.  Pela denominação da sua classificação, a fibromialgia não acomete as articulações, como ocorre com os outros tipos de reumatismos. Ela apenas acomete as chamadas “partes moles”.  A fibromialgia acomete cerca de 2 a 4% da população adulta nos países ocidentais e as mulheres são 5 a 9 vezes mais afetadas do que os homens.  A idade predominante do aparecimento dos sintomas oscila entre os 20 e os 50 anos, apesar de que crianças e idosos não estão isentos do quadro.  Sua etiologia ainda não é bem elucidada dentro da medicina, porém sabe-se do envolvimento de fatores sociais e emocionais. Alguns estudos falam de alterações no mecanismo de modulação da dor( no sistema nervoso central), em indivíduos com certa predisposição.  As várias alterações clínicas da síndrome envolvem alterações comportamentais, neuroendócrinas e imunológicas. Veja algumas delas:  A fibromialgia preenche requisitos de uma verdadeira síndrome, exigindo padrão clínico reconhecível, com poucas variações de um paciente para outro. É uma doença adquirida, que acomete crianças, adultos e idosos. O distúrbio de sono é encontrado em praticamente todos os pacientes. Há uma tendência familiar, com clara predileção pelas mulheres. Não há alterações histológicas convincentes nos órgãos acometidos, como bursas, tendões e músculos. O diagnóstico é essencialmente clínico, não havendo alterações laboratoriais. A prova de atividade inflamatória é normal, bem como os exames de imagem.  Deve ser feita uma avaliação minuciosa para descartar hipóteses como Lúpus Heritematoso e Artrite Reumatóide.  Este diagnóstico clínico baseia-se por critérios definidos pelo Colégio Americano de Reumatologia:  Presença de dor difusa por pelo menos 3 meses, sendo dor difusa quando comprometem o alto e o baixo e o lado esquerdo e o direito; Existe de maneira obrigatória o comprometimento de, ao menos, um dos seguimentos da coluna vertebral (cervical, torácica ou lombar); Presença de, pelo menos, 11 dos 18 pontos dolorosos à apalpação, sendo definido como doloroso um ponto reativo a uma pressão de aproximadamente 4 kg;

pontos-dolorosos

A característica da dor é bastante variável, podendo ser queimação, pontada, peso (“tipo cansaço”), ou como uma contusão. É comum a referência de agravamento pelo frio, umidade, mudança climática, tensão emocional ou por esforço físico acentuado.  Além das dores frequentes, temos outros sintomas associados:   Saiba como Fadiga; Distúrbios do sono; Distúrbios do humor; Rigidez articular matinal; Cefaléias; Depressão; Ansiedade; Síndrome do cólon irritável; Essa síndrome tem como características causar muito sofrimento para os portadores. Incluindo à isso, dependendo do estágio em que o paciente se encontre, ela poderá provocar inaptidão ao trabalho, dificuldade e até impossibilidade de locomoção, problemas de relacionamento familiar e social, entre tantos outros problemas.  Ainda não existe um consenso para o tratamento ideal para a fibromialgia, mas sabe-se que o tratamento deve envolver o paciente num aspecto geral, com importância para os seguintes fatores:  Educacional: Informar ao paciente sua real condição, prognóstico e possibilidades terapêuticas; Atividade Física: Em especial, exercícios aeróbicos sem carga e sem impacto; Farmacológicos: Indutores do sono, analgésicos e relaxantes musculares; Alternativo: Acupuntura, auriculoterapia, massoterapia, yoga e técnicas de relaxamento. VISÃO ORIENTAL  Dentro da Medicina Tradicional Chinesa considera-se  a etiologia da Fibromialgia como uma síndrome mista, pois possui fatores de influência internos e externos.  A grande maioria relata o início da fibromialgia após uma grande situação de injúria ou stress, sendo esta acompanhada de uma dor súbita e localizada.  Mesmo sendo necessária uma predisposição genética, o fator de sobrecarga no trabalho está intimamente ligada com os pacientes portadores da síndrome de fibromialgia.  Diferentemente da medicina ocidental, que pouco sabe-se sobre as causas da fibromialgia, a MTC possui várias vertentes e citações de causas e tratamentos.  As nomenclaturas são bem características e de difícil entendimento para leigos, mas eu vou tentar resumir…  Existem pelo menos 7 autores renomados dentro da MTC que citam as causas para a síndrome e os tratamentos adequados. As principais suposições envolvem o mal funcionamento do fígado, do baço e suas consequentes interferências na produção, fluidez e distribuição do sangue (visão oriental), entre outros fatores.  O baço na MTC tem como uma das suas características auxiliar a produção do sangue e é “responsável” pela musculatura. Já o fígado, tem a função de resfriamento e distribuição do sangue e da energia Qi(conceito de energia vital na filosofia oriental), além de ser responsável pelos tendões e ligamentos. Já o sangue, é responsável por nutrir todas as partes do corpo, incluindo músculos e tendões.  Para além das atribuições acima, o mal funcionamento do fígado pode gerar stress, ansiedade e distúrbios do sono, e a ineficiência do baço pode gerar fraqueza, indisposição, distúrbios do sistema digestivo e causar desânimo e depressão. Conceitos que explicam sintomas ocidentais atribuídos fibromialgia pela medicina ocidental.  Contudo, o mal funcionamento destes órgãos representa um desequilíbrio geral e principalmente falta de irrigação na musculatura, tendões e ligamentos, gerando, assim, enrijecimento, fraqueza e consequentes dores e lesões.  Além disso, leva-se muito em conta na MTC a individualidade biológica e portanto, os sinais, sintomas e tratamentos frequentemente são diferenciados de paciente para paciente.  Devido à isso, a acupuntura e a auriculoterapia mostram-se como fundamentais para o tratamento e controle dos sintomas da fibromialgia, principalmente por seus benefícios analgésicos e a capacidade de identificar a causa da doença, promovendo um melhor prognóstico.  conclusão  A Fibromialgia é uma doença grave e causa muitos transtornos para seus portadores. Devido à isso, os portadores devem procurar identificar os melhores tratamentos e aprender a lidar com os sinais e sintomas da doença a fim de evitar crises. A Auriculoterapia e a Acupuntura mostram-se excelentes alternativas de tratamento, pois seguem as diretrizes do pensamento da MTC.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *