A fibromialgia é uma doença crónica caracterizada por queixas de dores neuromusculares difusas e pela presença de zonas dolorosas em regiões anatomicamente determinadas

 

10 COISAS QUE PESSOAS COM FIBROMIALGIA DEVEM EVITAR

fibro

A fibromialgia é uma doença crónica caracterizada por queixas de dores neuromusculares difusas e pela presença de zonas dolorosas em regiões anatomicamente determinadas. Adicionalmente, manifestações como fadiga, distúrbios emocionais e perturbações do sono e gastrointestinais, são igualmente comuns nestes pacientes. Conheça os 10 erros que nunca devem ser cometidos por quem sofre desta doença, de modo a não a agravar.

Permanecer muito tempo na mesma posição
Indivíduos com fibromialgia devem evitar permanecer longos períodos de tempo na mesma posição, seja sentado, deitado ou de pé. É este o motivo pelo qual as pessoas afetadas por tal doença tendem a sentir-se piores ao acordar, uma vez que ficaram deitadas na mesma posição durante horas. Quando o corpo não se movimenta, os músculos tendem a ficar mais rígidos, causando dores adicionais. Assim, atividades aparentemente inofensivas como, por exemplo, estar no computador ou lavar a loiça, devem ser cronometradas para evitar distrações que podem, mais tarde, implicar dores profundas.

Água fria
Aqueles que sofrem de fibromialgia não devem mergulhar qualquer parte do seu corpo em água cuja temperatura seja inferior a 30 graus. A resposta a baixas temperaturas costuma ser imediata e dolorosa mas, em alguns casos, a sensação de desconforto surge apenas algumas horas após a exposição a água fria. Além disso, a água quente é particularmente indicada porque ajuda a aliviar dores musculares e ósseas.

Movimentos repetitivos
Utilizar repetidamente os mesmos grupos musculares contribui para uma rápida escalada da dor. Assim, atividades que exijam repetição prolongada de certos movimentos devem ser evitadas ou interrompidas por pausas frequentes. Um estudo canadiano recente demonstrou que, quando submetidos à tarefa de levantar e pousar 18 latas, doentes com fibromialgia reportaram dores mais intensas do que pacientes com dores de costas crónicas.Saltos altos

Apesar de esteticamente apelativos, os saltos altos vertiginosos são medicamente desaconselhados a todas as mulheres. Não obstante, a maioria ignora os potenciais perigos deste acessório em nome da beleza. Está cientificamente provado que a utilização prolongada de saltos altos pode provocar problemas graves nos pés, joelhos e postura corporal. Assim sendo, não é difícil entender que sejam totalmente proibidos a mulheres que sofram de fibromialgia. Em fases avançadas da doença, a maioria refere que o seu uso é totalmente insuportável.

Roupa justa
Pessoas com fibromialgia devem usar roupa leve, solta, e que não constrinja os movimentos. Os soutiens, por serem justos ao peito e terem armação, são normalmente uma das principais fontes de queixa por parte das mulheres que sofrem desta doença, sendo que os modelos desportivos são os ideais. As restantes peças de vestuário devem ser fáceis de vestir e despir, e os tecidos sintéticos devem, sempre que possível, ser preteridos em nome de materiais naturais como lã ou algodão.
Situações em que indivíduos com fibromialgia sejam forçados a apressar-se devem ser evitadas a todo o custo. A adrenalina que resulta de circunstâncias deste género pode aumentar os níveis de fadiga, exaustão, dor e stress. Neste sentido, é necessário realizar todas as tarefas com tempo, pelo que levantar mais cedo e planear/preparar cuidadosamente tudo o que deve ser feito são bons conselhos. Pausas para descansar são também uma boa opção.ártamo
Trata-se de um açúcar artificial utilizado para adoçar os mais variados produtos: refrigerantes, iogurtes, sobremesas, e outras comidas em que o objetivo é não adicionar calorias. Vários estudos reportam casos de doentes com fibromialgia que, ao descontinuarem o consumo de aspártamo, verificaram melhorias significativas.feína
Por vezes, pode ser tentador combater um dos principais sintomas da fibromialgia – a fadiga – com uma boa dose de café ou Coca-Cola, mas a cafeína pode interferir com os padrões de sono, e uma noite bem dormida é um dos principais fatores responsáveis pela minimização das dores provocadas pela doença. Um estudo norueguês publicado no jornal científico Arthritis & Rheumatism sugere que os distúrbios de sono desempenham um papel prejudicial no desenvolvimento da fibromialgia. Para aqueles que não dispensam as bebidas com cafeína, o mais indicado é consumi-las durante as primeiras horas do dia.
A doença celíaca, uma intolerância ao glúten, encontrado em trigo, cevada e centeio, é uma condição que pode, em alguns casos, agravar a fibromialgia. Em caso de diagnóstico desta intolerância, devem ser eliminados da dieta produtos como: massa, pão e cereais. Todos eles são passíveis de ser substituídos por alternativas à base de arroz e milho. É importante ter em conta que muitos molhos, marinadas e doces contêm glúten. Indivíduos com fibromialgia devem considerar eliminar um produto de cada vez e manter um diário para anotar quaisquer melhorias verificadas. Desse modo, será possível apurar quais os produtos que mais negativamente afetam os sintomas da fibromialgia.amato monossódidio
Estas substâncias são utilizadas como conservantes e aromatizantes em muitas comidas processadas, como comidas curadas e molhos. Tais alimentos possuem muito sal, que pode agravar a dor ou inchaço em alguns pacientes com fibromialgia. De modo a minimizar o impacto destas substâncias na fibromialgia, dever-se-á evitar comidas pré-preparadas sempre que possível, e apostar em alimentos como lentilhas, arroz integral e peixe.

Atenção! Se você sofre com dores nos Músculos, articulações e fibromialgia, Deixe de esquina Estes Alimentos. Leia e Saiba

fibromyalgia

Una dor é provavelmente o Problema de Saúde mais Tratado pelos Médicos nn dias atuais.

Todos Nós conhecemos alguém Que sofre de uma condição de crônica dor e até mesmo muitos De Nos padecem desse mal.

Os analgesicos são mais atualmente un medicação Utilizada – e não haver Parece cualquier lugar el sinal de desaceleração dessa Tendência.

Quase sempre, porém, os analgesicos são Apenas um paliativo, Cujo Efeito tem Día E hora para Acabar.

No entanto, un maioria das pessoas continuam un rincón os piores Alimentos para a dor – e sem sable.

O percurso Feito pela medicina tradicional para combater dores musculares, Dores nas aticulações e outras dores, Como artrite e fibromialgia, é curto e impreciso.

Além disso, ele não Chega ao director ponto da Pregunta: O Que esta provocando un correo dor una inflamação?

Enquanto un prescrição sí restringir · a Medicamentos analgesicos para suprimir un dor, ela Nunca tratará o Problema com profundidade e, portanto, Nunca descobrirá como: causas.

Sim, é verdade, os analgesicos são necessários em um tempo e Determinado Lugar.

O Problema Que é é preciso Avançar, ir Alem, e não Reduzir o tratamento ao USO deles.

E lamentavelmente poucos profissionais SABEM Que Existe uma ligação Importante Entre un alimentação e muitos Casos de articular e dor muscular.

Como bem Diz A Famosa frase hacer pai da medicina, Hipócrates, “Deixe o Alimento Ser sua medicina e una medicina Ser seu alimento”.

Uma frase tão Sabia, mas tão esquecida pela medicina contemporânea …

E this Famosa frase é Muy Pertiente párrafo aqueles Que SOFREM com dor Crónica.

Testar Quer?

Se você sofre com dor muscular, fibromialgia e nas articulações, Podera Reduzir o seu sofrimento Apenas deixando de Consumir os seguintes Alimentos inflamatórios:

1. Açúcar

Quer adicionar combustível fogo ao?

Então coma Açúcar e / ou Alimentos Muy processados Que Contém grande Quantidade de Açúcar (lembrete – Alimentos processados nem sempre têm gosto doce, Cuidado).

O Azúcar y um dos piores Alimentos para a dor e nas articulações Músculos.

Nada prejudica o trato digestivo de Como o Açúcar.

Un comunidade Médica this começando un concordar com o fato De que una inflamação crônica geralmente COMECA sin intestino, Que represen una maior parte del imunológico hacer system.

Você deve ter já escutado una frase “você é O que você venir”.

Para nós, já é hora de criar uma versão mais avançada dessa frase: “Nós somos o Que absorvemos”.

2. Álcool

No lo vamos Pedir un você Que Nunca desfrute de uma Taça de um bom vinho, mas moderação é tudo.

Tenha em mente Que muito álcool pode danificar una flora intestinal, PROMOVER O Crescimento de Fungos Como un Cándida e dificultar una capacidade hacer seu corpo de se desintoxicar.

Como un maioria das Coisas na vida, o Tamanho da dosis é o veneno.

O álcool, por natureza, é uma Molécula de Açúcar COMBINADA com uma Molécula de gordura.

Ele agride Bastante O Organismo e e um dos piores Alimentos para a dor.

5_alimentos _-_ dor_e_fibromialgia_ed.jpg

3. Cereais

Refinados ou não, os Grãos são difíceis de digerir e podem sobrecarregar muito o trato intestinal, provocando uma inflamação Crónica.

O Problema inflamatorio Aumenta especialmente para você se sensível ao gluten.

Adicione un isso os Altos níveis de ácido fítico e lectinas dos Grãos Que podem dificultar a sua capacidade de absorver calcio, magnésio e outros Minerais essenciais.

Muitas pessoas têm alergia intolerancia ou un Cereais, mas estão Completamente inconscientes disso.

Em Resumo, Cereais são também um dos piores Alimentos para a dor.

Se você sofre com dores Crônicas, experimente deixar de Consumir Cereais (especialmente trigo o correo Derivados) por um tempo para fazer uma avaliação mais Precisa hacer pesos deles no seu Problema de Saúde.

4. Óleo vegetal refinado

Canola, óleo de soja, milho de correo de girassol são em grande parte geneticamente Modificado.

E eses óleos estão bem Documentados, em DIVERSOS estudos, por contribuir para a inflamação e a dor.

Infelizmente, Todos eles são frequentemente utilizados não só na casa da maioria das pessoas, Como também em LANCHONETES e este restaurantes.

O pior é Que eses óleos são anunciados Como “Saudáveis” – não Acredite finura conto de fadas!

Una gordura desses óleos, ao entrar em contato com una luz, torna-se extremamente tóxica e indigesta.

Enfim, os Óleos Vegetais Refinados são, sem Dúvida, um dos cinco piores Alimentos para a dor.

Fique longe desses malfeitores.

Os mais óleos Saudáveis são o óleo de coco extravirgem, o Azeite de oliva e extravirgem un banha de porco

5. Leite pasteurizado

Uma pesquisa recente mostra = ou Que un maioria das pessoas com sensibilidade ao glúten também tem Problemas con la LATICÍNIOS.

Como vacas alimentadas são com produtos Químicos e Cereais Que Contém gluten.

O Leite também é “recheado” de hormônios e, é quando pasteurizado, o processo destrói como bacterias (Como una L. lactis) Que digerem una caseína, protein Que pode imitar o gluten.

Além disso, o processo de pasteurização altera una estrutura molecular hacer teor nutricional que é Encontrado sin cru Leite (não pasteurizado).

Assim Como os Óleos Vegetais Refinados, é melhor deixar os produtos Lácteos pasteurizados nas Prateleiras hacer supermercado, Porque eles também são péssimos para a dor.

Este é um Blog de Noticias sobre Tratamentos Caseiros. Ele não substitui um especialista. Consulte semper seu medical field.
:

Insônia, desânimo e dores no corpo podem indicar fibromialgia

image-1

RAQUEL SODRÉ

Os sintomas são quase os de uma gripe: muitas dores no corpo, cansaço, desânimo, um sono que não descansa. Mas, no caso dos pacientes de fibromialgia, esse mal-estar não passa depois de alguns dias. Ao contrário, é uma sensação que pode durar anos.

A fibromialgia é uma síndrome que tem como principais características a dor difusa pelo corpo, cansaço, desânimo, insônia, depressão e ansiedade. Em algumas pessoas, ela pode vir também acompanhada de enxaqueca e dores na região do intestino.

Foi com boa parte desses sintomas que a decoradora Siuse Grece Alencar Camargos, 58, se viu cerca de 15 anos atrás. De todos os sintomas, o que mais incomodava era a depressão, que, apesar de ser leve, foi o que a fez procurar um médico. “Me sentia muito incomodada. Sentia vontade de trabalhar, mas não tinha ânimo. Me sentia a pessoa mais preguiçosa do mundo, em dívida com tudo”, conta.

O quadro das dores pelo corpo todo fizeram o psiquiatra recomendar que Siuse procurasse um reumatologista, médico responsável pelo tratamento da fibromialgia – e também quem faz o diagnóstico da doença. O tratamento da fibromialgia é feito com antidepressivos, já que a liberação de serotonina e dopamina estimulada por esses medicamentos regula os mecanismos de percepção da dor e também faz a pessoa dormir melhor.

Siuze tratou a depressão e, consequentemente, a fibromialgia, e hoje tem a doença sob controle. “Faço atividades físicas, trabalho normalmente, cuido dos meus netos. Só às vezes tenho uma crise, e aí preciso diminuir o ritmo uns dias”, conta.

A doença é mais prevalente entre mulheres com idades entre 40 e 60 anos e, de acordo com um levantamento da Sociedade Brasileira de Reumatologia, atinge cerca de 2,5% das pessoas no Brasil. Ainda não se sabe as causas que levam a ela, mas alguns estudos levam a crer que haja uma relação com a genética. Por isso, não há uma forma de prevenção possível. Mas, com o tratamento correto, ela pode ficar controlada.

“Muitos pacientes se curam, ficam livres da dor e, às vezes, até param de tomar os remédios. Mas, para isso, é preciso se comprometer com o tratamento, que exige mudança de hábitos”, afirma a reumatologista Cristina Costa Duarte Lanna, professora da Faculdade de Medicina da UFMG. A atividade física, principalmente a aeróbica, é outro pilar do tratamento da doença, junto com a psicoterapia cognitiva, que irá ajudar o paciente a lidar com alguns traços de personalidade comuns a quem sofre da fibromialgia.

Ioga e hidroterapia são eficazes para controlar sintomas

A fibromialgia foi descoberta somente 15 anos atrás. Portanto, ainda há várias coisas desconhecidas sobre ela. Mas alguns estudos têm mostrado que técnicas como a ioga e a hidroterapia são bastante eficazes para aliviar os sintomas da doença.

Uma pesquisa realizada no Oregon, EUA, e publicada no periódico “Pain” revelou que as participantes que fizeram aulas de ioga apresentaram uma redução considerável nas dores e nos demais sintomas da doença. As aulas eram compostas de poses de alongamento, meditação e exercícios de respiração.

“Os resultados sugerem que a intervenção da ioga levou a uma mudança benéfica em como as pacientes lidam com a dor, incluindo um melhor uso das estratégias adaptativas de abordagem da dor”, disse o coordenador da pesquisa, professor James W. Carson.

Já a hidroterapia tem sido usada como uma alternativa à fisioterapia, para os pacientes que não conseguem praticar atividades físicas por conta das dores causadas pela doença.

“O paciente passa por uma avaliação e recebe um programa de exercícios específico. Todas as atividades são feitas em uma piscina terapêutica, com água aquecida”, explica o fisioterapeuta Rogério Celso Ferreira, diretor clínico da Fisior Hidroterapia. Entre as vantagens da técnica, ele aponta que a redução da força da gravidade faz com que novos exercícios sejam possíveis. Além disso, a água aquecida promove uma vasodilatação, que melhora a oxigenação de todo o corpo e aumenta o relaxamento, melhorando até o sono desses pacientes. (RS)

Hidroginástica

Não confunda. Hidroterapia e hidroginástica não são a mesma coisa. Enquanto a primeira é um tratamento individualizado, a segunda é uma atividade física, normalmente feita em grupos.

Flash

Gatilho. Os pacientes de fibromialgia podem apresentar crises, quando os sintomas da síndrome estão mais fortes e evidentes. Normalmente, segundo especialistas, esses episódios acontecem em períodos de maior estresse, ansiedade e descarga emocional.

Las enfermedades reumáticas afectan a uno de cada cuatro españoles

fotonoticia_20161012082540_640

Las enfermedades reumáticas son uno de los principales problemas

crónicos de salud no oncológico que afectan a los españoles ya que, según datos de la Sociedad Española de Reumatología (SER), uno de cada cuatro mayores de 20 años padece alguno de los diferentes tipos de patologías reumáticas.

En concreto, las enfermedades del aparato locomotor pueden clasificarse en artritis: enfermedades inflamatorias de las articulaciones, entre otras la artritis reumatoide, la espondilitis anquilosante o la artritis psoriásica; o artrosis: enfermedades en las que el cartílago se degenera progresivamente, provocando que la articulación duela, se deforme y pierda movilidad.

Asimismo, existe el dolor lumbar: que supone la enfermedad reumatológica más frecuente y que afecta en torno a casi el 15 por ciento de la población española; las osteoporosis y enfermedades primarias del hueso; y reumatismos de partes blandas, que engloban las enfermedades que afectan a los tendones (tendinitis) bolsas serosas (bursitis), músculos (miopatías y miositis) y al sistema nervioso periférico (síndromes de atrapamiento nervioso).

“No existe ningún estudio concluyente al respecto, pero la mayor prevalencia de las enfermedades reumáticas en las mujeres puede estar provocada por una causa hormonal o genética. No obstante, según el estudio ‘EPISER’ de la SER todas las enfermedades reumáticas, especialmente las de mayor prevalencia afectan en mayor medida a las mujeres que a los hombres, llegando a una proporción de 4 a 1 en enfermedades como la artritis reumatoide, o la artrosis de manos. En la osteoporosis la proporción es de 3 a 1 y en el caso de la fibromialgia de 21 mujeres afectadas por cada varón\”, ha aseverado la reumatóloga del Complejo Hospitalario Ruber Juan Bravo,

Susana Gerechter.

OSTEOPOROSIS Y FIBROMIALGIA   

Ahora bien, las enfermedades del aparato locomotor son las que más alteran la calidad de vida, si bien, tal y como ha comentado la doctora Gerechter con motivo de la celebración, este mi��rcoles, del Día Mundial de las Enfermedades Reumáticas, las más importantes son la osteoporosis y la fibromialgia.

“Actualmente la osteoporosis está considerada como una epidemia moderna del mundo occidental, debido principalmente al progresivo envejecimiento de la población; según las proyecciones demográficas, en los próximos 10 años la población mayor de 50 años crecerá en España un 35 por ciento, estimándose un aumento del 40 por ciento en el número de fracturas”, ha enfatizado.

Por ello, ha destacado la importancia de la existencia de Unidades de prevención de fracturas osteoporóticas como la puesta en marcha recientemente en el Complejo Hospitalario Ruber Juan Bravo, en la que participan profesionales de distintas especialidades, y que en tan sólo un mes de vida ya está atendiendo a más de 40 pacientes.

De hecho, según ha asegurado, se ha comprobado que la prevención de fracturas por fragilidad disminuye la incidencia de nuevas fracturas, con la correlativa disminución de los costes asociados, mejora de la calidad de vida relacionada con la salud y reduce la morbimortalidad asociada a la fractura.

Respecto de la fibromialgia, a la que muchas veces se alude como la “enfermedad incomprendida “, la ausencia de alteraciones estructurales objetivables la ha convertido en una patología incomprendida y en muchos casos negada por algunos profesionales, que al no encontrar sustrato orgánico objetivable la tildan de psicológica.

Ahora bien, las nuevas técnicas de resonancia nuclear magnética funcional han permitido afirmar que estos pacientes tienen activos de forma permanente los circuitos neuronales que transmiten el dolor, es decir, su cerebro tiene activas estructuras como el de aquellas personas que sufren dolor derivado de lesiones objetivables.